segunda-feira, 14 de junho de 2010

Troia-Sagres 2010

Desta vez para me armar em bom em vez de 205km resolvi fazer 500k. Só para calar alguns que andam praí. Para isso resolvi pedir um veiculo à maneira que me permitisse completar a jornada da forma mais confortável possível. Calhou-me na rifa o carro vassoura da volta aos brejos do Assa, equipado com tudo o que se possa desejar para uma viagem deste calibre: pão com chouriço, leitor de cassetes roufenho e banco do condutor em v que ainda hoje (passados 2 dias) me trás recordações à L5S1. Como co-piloto veio a Cássia Soneca, fotógrafa de serviço e assistente do pão com chouriço. Os restantes participantes da aventura partiram mais cedo e antes das 7 da manhã já existiam histórias de sprints e fugas inglórias anuladas pelo pelotão e por um furo malvado.

Cássia Soneca

A essa hora tanto eu como a Cássia Soneca "pão-com-chouriço" ainda roncávamos (em casas diferentes) confiantes que a nossa prestação nos iria permitir apanhar o restante grupo ainda a meio do caminho.
E assim foi. Pouco depois de Sines vemos a primeira equipa oficial liderada pelo Michel Fugas (d'ar) e da qual faziam parte ainda o Rapaz-de-13-anos e o Pai. Logo ali se fez o primeiro pit stop durante o qual o Michel Fugas (de ar) aproveitou para se lastimar pela primeira de 37 vezes do furo que sofreu, e para comer 48 sandes de carne assada 7 bananas e colocar 28 barras de cereais na bolsa da bicicleta preocupado que estava com uma possível diminuição do seu perímetro abdominal.
Mais à frente começo a ouvir um ribombar, um barulho que trazia recordações de tempestades e ventos fortíssimos. Afinal era apenas o Adalberto "mãozinhas" e o seu encerado preto. Perguntei-lhe se ele precisava de algo ao que me respondeu desesperado: "porra tava a ver que não, epá isto é duro e eu queria..." ao que eu arranquei sem lhe dar mais hipóteses e disse que já vinha.

Mais à frente Sato, "a máquina" estava no café à 30 minutos a tentar pedir um galão aquecido em chávena fria como se bebe no Japão, sem que ninguém o entendesse. O próximo artista a solo estava mais á frente, Gonçalo "a locomotiva" (a carvão) lá ia sem parar sentado no seu banquinho de pau, a tentar apanhar o quarteto fantástico que ia mais à frente.


Helder o diabrete choramingão, Emilio, o ANIMAL, o "senhor" e Helder Ciáticas, tri-campeão mundial da quinta do Conde, seguiam mais á frente e sorriram com ar de parvos quando passaram por nós sem parar no primeiro abastecimento. De que é que eles sorriam se eu é que ia sentadinho e ainda tinha tempo para ler as ultimas do mundial (parece que o fabio Coentrão tem um penteado novo) e comer um belo pãozinho com chouriço?


Passado algum tempo lá chegam os tipos que iam a solo e mais a equipa laranja. O Adalberto encerado (também conhecido por "o relógio humano") começou a desmontar a bicicleta assim sendo que tive de arrancar à pressa enquanto ele ia dizendo: "ufa pronto tava a ver que não, já não aguentava ma...", mal dando tempo ao Michel Fugas para meter mais 65 000 calorias pro bucho.



A próxima paragem já deu para ver o quarteto fantástico fora das bicicletas um pouco humilhados por eu os ter ultrapassado pela segunda vez apesar de levar 2 garrafões de água, que me tinham pedido para ir passear ao Algarve e serem depois despejados ao Sado na maré baixa porque queriam depois ser levados para o mar alto.

quarteto fantástico

Espectáculo garantido neste pit stop, com todos a falarem ao mesmo tempo tentando explicar que cada um deles é que tinha vindo a puxar sempre os outros todos, isto por entre sandes de carne assada porque parece que só comer geis não dá (tás a ver Emílio?) e mijas de calção arregaçado (não é para todos sobretudo porque até tava fresquinho). Adeus e até logo que existia uma taça para ganhar.

Espera espera espera e lá vêem os solistas e mais a equipa laranja que vinham despejar o Edgar não-posso-beber-café-o-meu-pai-não-me-deixa que trazia ordens da mãe para não humilhar os velhotes. Sato, a máquina parou timidamente 5 metros à frente da carrinha e ficou por ali a fazer sabe-se lá o quê. O Michel Fugas d'ar aproveitou para comer qualquer coisinha que a fome apertava e o Adalberto Encerado sorria perante a perspectiva de finalmente entrar na carrinha e poder finalmente desabafar com alguém as agruras da viajem.

Enquanto ele sorria eu arranquei novamente e fui em perseguição do quarteto fantástico.
A Cássia foi comprar mais uns pães com chouriço para Emilio, o animal. Depois fomos dar-lhes assistência ao que eles responderam que queriam era alcatrão e lá seguiram até Sagres feitos uns valentes.
quarteto fantástico em fuga

Cá atrás a coisa arrastava-se um bocado e era cada um por si excepto para o pai que vinha a dar a extrema unção ao Adalberto.

Juntámo-nos todos a seguir a Aijesus e o Adalberto assim que soube que eu estava para trás atirou-se para o chão a pedir a substituição. Não tive hipótese e lá tive de o ir a ouvir a queixar-se até Sagres onde comemos Hambúrgueres e bebemos imperiais e contámos mentiras uns aos outros.

EpilogoHelder Ciáticas - 1º lugar e tri-campeão mundial da qt do Conde

Helder o diabrete choramingas- 1º lugar e hexacampeão de cycling às terças, quintas e sextas no M
Emilio, o ANIMAL - 1º lugar categoria produção


senhor - 1º lugar na classe velhotes (já com o calção no sitio)
Sato, a máquina- 1ºlugar artistas a solo com mochilas altamente desconfortáveis às costas
Gonçalo, a locomotiva a carvão - 1º lugar em bicicletas mistas
michel fugas d'ar - 1º lugar em perimetro abdominal e prémio combatividade à caloria
Pai-dofilho - 2º lugar ex-aqueo com os outros todos e prémio simpatia e revelação do ano

Edgar o filho - Troféu da juventude

Adalberto Encerado - prémio de consolação

Parece que o Helder ciáticas ganhou ex-aquo com o Hélder Choramingas, mas Emílio, o ANIMAL que tinha uma biciclete de aço também ganhou na categoria produção. O senhor ganhou no seu escalão (maior de 70) e ganhou também o prémio de mija mais original. A solo ganhou Sato, a máquina que infelizmente não veio receber o prémio porque estava demasiado à nora. Em bicicletas mistas ganhou o Gonçalo, a locomotiva e em primeiro lugar no seu perímetro abdominal ganhou o Michel fugas d'ar. O Pai-do-filho ganhou o prémio simpatia e revelação do ano.
Finalmente o troféu da juventude ficou para Edgar o filho do outro senhor com uns belissimos 135km. Em último lugar Adalberto Encerado que como prémio de consolação ficou a saber que o ferrybote da Troia demora 20 minutos a chegar a Setúbal.

FimDiabrete traquinas a fazer o aquecimento para ir empurrar o carro vasoura

obrigado cicloturismo palmelense F. Clube!

Ps: parece que continua a existir polémica relativamente ao vencedor e depois de analisar o foto-fixe consegui apurar que:
apesar de tanto o queixo do Emílio, o ANIMAL como o nariz de Helder Choramingas , el diabrete serem a primeira parte do corpo a atravessar a meta nem um nem outro são os vencedores. Segundo as regras internacionais da quinta do conde em caso de empate o mais gozão é que ganha principalmente se sofrer de ciática. Portanto o vencedor é nada mais nada menos do que Helder o rei do alcatrão.o podium



Mais fotografias aqui (cliquem na palavra aqui) (não é nessa é na outra)

Pss: gostaria de ressalvar que este post é uma cópia descarada (e muito borrada) do estilo literário de um blog amigo (o roda digital - que vos aconselho vivamente a ler) e que no futuro não irei continuar com estas palhaçadas. Simplesmente desta vez não me calhou a mim sofrer e foi mais fácil gozar com os outros. Parabéns a todos, foram uns bravos!

6 comentários:

nanex disse...

ahahahhahahahah
estamos a ficar engraçadinhos. Fabuloso relato. Pois eu cá acho que deverias continuar neste estilo nem que fosse de quando em vez.

Carca disse...

Está muito fixe. Mete mais destes

Inês Gil Forte disse...

Só uma comentário...
UAU!!!!

turtle disse...

MUITO BOM RUI AVENTURAS!!

RuiRuim disse...

Obrigado! vejam o blog roda digital que tá muito bem escrito. principalmente o relato da maratona de Sevilha

carneiro disse...

eh lá....temos veia.