terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Duas pistas


Estou numa luta interior desgraçada. Esta semana pensava que o mister me ia dar recuperação e afinal pimba toma lá mais carga ainda. Ando cansado e confesso que me começa a faltar motivação para ir sofrer que nem um cão para a pista (menu do dia: 20x400m...). Enviei-lhe um mail e ele respondeu-me para abrandar 3 dias e depois retomar o treino normalmente na quinta-feira. O busilis é que não quero fazer metade do treino. Acho que o gozo disto é fazer tudo como manda a sapatilha, e o sentimento de desistir já o provei em Ronda e não quero ver se sabe ao mesmo. Eu sei que são coisas diferentes e que devo escutar o meu corpo. O problema é que às vezes a cabeça tenta enganar o corpo.

3 comentários:

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Series... não é coisa que me encante.

Bem..., que dá resultado, dá. Até um atleta de trazer por casa como eu, sabe isso, por experiência própria. (outros tempos)

Força e coragem, sem nunca perder o prazer da coisa.

Ana Pereira

Yugo disse...

Em certa medida correr é sofrer, especialmente ao nível que tu o estás a fazer.
mas acima de tudo não te esqueças de outra coisa que tb rima com "correr" e "fazer" e palavras acabadas em "er" que é o prazer.

Se te dá prazer cumprir este plano à risca atira-te às séries e dá-lhe com força. Pelo menos mais tarde não vais ficar a pensar se eu tivesse feito o plano direito...

Força é até vomitar na pista :)

nanex disse...

Se já expuseste o caso ao treinador e este rectificou o plano então é para cumprir.
O yugo fala e bem do "prazer". Eu sou um fã do "prazer". Em momentos o sofrimento também se transforma em prazer mas quando é desmesurado....
Mas não há maior prazer do que aquele que obtens quando cumpres o objectivo a que te propuseste.
Se queres mesmo cumpri-lo, ó meu amigo, faz o que o treinador manda ou então depois não lamentes por teres falhado (e porque se falhares apesar de teres feito tudo o que ele te disse pelo menos ficas com a certeza que deste o teu máximo).