quinta-feira, 27 de agosto de 2009

2º Ultra Trail Geira Romana (2009)

Quase 2 meses depois aqui vai o relato da minha participação no Ultra Trail Geira Romana no Gerês.


Arranquei de Setúbal a uma quinta-feira de tarde, depois de ter dormido que nem um porco porque no dia anterior tinha realizado as 24 horas de Cycling para o ginásio. Ainda tive de esperar pela Valéria (a VW) que vinha com o seu outro dono de Sines. Arranquei já tarde e fiquei a dormir a meio caminho num descampado qualquer. De manhã tomei o pequeno-almoço e segui para Matosinhos para ir buscar o Sérgio, que é o meu irmão de cabelo. Ando sempre na nacional por causa da VW (paga 2a categoria) e por vezes da vista, mas aquele bocado de estrada entre Coimbra e o Porto é para esquecer... fiz os últimos quilómetros a menos de 50k/h.
Peguei no Sérgio andamos às voltas no Porto para ir entregar a baixa da Ariana que estava doente e seguimos para o Gerês, tudo muito devagarinho e já em ritmo de férias! Almoçámos num restaurante enorme onde vimos o final da etapa do Giro e continuámos até à cascata do arade com a intenção de tomarmos um banho por lá. Já lá estagiei e conheço aquilo mais ou menos mas não demos lá muito bem com o spot fixe... quer dizer vimos o spot mas descer para lá é que não dava. Mas deu para tomar um bom banho naquelas águas limpinhas e geladas. Estou a escrever isto e já cheio de vontade de me atirar lá para dentro.

Ainda andámos um bocado até lá chegar e deu para moer, mas, não satisfeitos ainda fomos andar cada um para seu lado. O Sérgio para apanhar rede e telefonar à Ariana, eu para fotografar a cascata do Arade. Enfim já bem cansados decidimos ficar por ali mesmo (decisão reforçada depois de eu descobrir uma garrafa de vinho escondida na Valéria!). Menu massa com coisas, claro. E depois soninho no meio do Gerês que é o melhor sitio para se dormir!


No segundo dia acordámos e estávamos no mesmo sitio tal como seria de esperar e portanto resolvemos ir para um pouco mais perto da partida que ficava em Lobios, Espanha. Claro que na modorra do calor e das férias nem olhámos para o mapa e fomos dar a volta maior para lá chegar indo pelo campo do Gerês. Mais uma estafa de carro e de andar a pé e sol na cabeça! Mas tomámos um banho na maior piscina do mundo que nos soube pela vida.

A seguir fomos para Lobios atravessando a Mata de Albergaria, paisagem protegida e local onde nunca deveriam autorizar a passagem de carros, (prometo solenemente nunca mais passar por lá a conduzir algo mais potente que uma bicicleta!).
Chegámos a Lobios muitooooooo tempo depois, e estivemos em chill-out junto ao rio caldo que estava fredo. Ler, ouvir musica e dormir um pouco e confesso stressar um bocadinho com o facto de nos sentirmos cansados e termos 45 km para fazer no dia seguinte.
Ao final da tarde, em Lobios, tratámos da papelada e lavámos a louça no rio com areia e voltámos para Banos de Lobios onde começava o Trail da Geira.
Água e massa ao Jantar e fomos dormir depois de prepararmos a tralha para a prova. Decidimos ambos não levar camelback, o Sérgio levou um cinto com um bidon e eu levei o meu bidon na mão para assim seguirmos mais ligeiros.


Acordámos às 6.30 para tomar o pequeno almoço (papa Cerelac) e às 7.30 em ponto apanhámos o penúltimo autocarro que estava a sair em direcção a Amares para o local da partida. (sim o percurso não é circular o que significa que o local da partida é diferente do da chegada.). Aí começou logo a prova. 1 hora de curvas e contra-curvas é duro para o estômago e o amigo que estava lá no chão a vomitar que nem um possuído que o diga...

A partida foi dada depois do Julio César em pessoa ler um edital de encorajamento. Começámos lentos e deixámos passar muita gente ao principio, tínhamos combinado que iríamos optar por ir mais devagar ao principio e depois conforme nos sentíssemos acelerávamos ou não. O importante era sentirmo-nos bem e acabarmos bem a prova.
Fizemos isso durante 5 minutos e depois corremos que nem uns loucos até ao fim. Mentira. Fomos calmos a primeira hora e depois começámos gradualmente a acelerar e tentámos manter o ritmo até ao fim.

O percurso passa por paisagens bem bonitas, e recomendo a todos fazê-la a pé ou de bicicleta (é possível) e apesar da lama, com que nos deixámos de importar mais ou menos a meio, apesar das pedras e dos buracos e água, não é demasiado difícil de fazer a bom ritmo (isto vem contrariar a minha opinião do ano passado mas enfim). Excepto os quilómetros finais. Desde a Portela do homem até Banos de Lobios (sempre a descer) é só lama, buracos, troncos de árvore cortados a servir de armadilha, monticulos de ervas, silvas e pedras... de dar em doido principalmente quando tentei fazer aquilo à velocidade de sprinter!

Em termos de prestação individual apenas tenho a relatar 4 partes: as primeiras 3 horas em que me senti sempre bem e fui num ritmo sempre confortável, a 4ª hora em que me tive de concentrar e já não ouvia muito bem o Sérgio, a parte final da 5ªa hora em que quebrei e tive de abrandar muito o ritmo e em que pela primeira vez desde o inicio passou alguém por nós e finalmente a ultima meia-hora em que renasci e corri que nem um louco pela ladeira abaixo.
Quebrei quase no fim porque descurei a alimentação mais uma vez. Depois de comer e beber mais água fiquei mais do que bem, fiquei com a força que nem tinha tido nos últimos quilometros. Mais uma aprendizagem.

No final fizemos 5h25m, e melhorei o meu tempo de 2008 que tinha sido de 5h55m, num percurso em quase tudo idêntico. Fiquei contente mas penso que posso melhorar bastante.
Aprendi (como sempre) muito com o Sérgio e passei uns belos dias tanto o Gerês como em Matosinhos, cidade que recomendo vivamente para todos os fãs de desporto e afins!

Obrigado Ariana, obrigado Sérgio, meu irmão de cabelo!!

2 comentários:

Rogério Leite disse...

E eu procurando as bikes nas fotos! hehehehe... corrida a pé! ahahahah As fotos da cachoeira estão ótimas, em especial aquela em baixa velocidade de obturação! A expressão IRMÃO DE CABELO não é conhecida do lado de cá, mas digamos que seja "SEU IRMÃO DE FÉ, CAMARADA!"... e VW aqui é sinônimo de FUSCA (Aquela baratinha da Volkswagen, The Old Bettle!)... Aqui sua Valéria seria uma Kombi! heheeh Aliás, legal este seu Kombi-trailer!

Carca disse...

Lobios da crica! 8 anos depois e nunca resisto a fazer essa piada... Sou mesmo básico...