domingo, 14 de dezembro de 2008

Singing in the rain

Números
Hora de despertar: 5.00
Hora de partida (Troia): 6.55
Hora de chegada (Lagos): 16.25
Kilometros: 194
Desnível acumulado de subida: 1340
Comida do dia por ordem: Papas de aveia com mel, banana, barras, sandes mista, barras, gel, frutos secos, barras (no total 8 barras), sandes de presunto, galão, jaquinzinhos com arroz de tomate, laranja. Tudo regado com água, powerade, bebida da power bar com proteina que agora não me lembra o nome, um gole de coca-cola, vinho e muita muita água.

Troia- Sagres (ou Lagos neste caso) com este tempo e sem apoio é uma experiência a não repetir.
É um belo passeio para se fazer no verão ou até mesmo no inverno mas nunca num dia como o de ontem. Ao fim de 30 quilómetros estava completamente encharcado. Os pés já faziam chlop chlop dentro dos sapatos e as mãos começavam a enrijar. Até Sines ainda se fez bem, mas a partir daí foi sempre a sofrer. Frio, chuva, vento e dores no cú.
Tive uma companhia que puxou e bem por mim, o nuno do clube de BTT de odemira, logo no principio da conversa descobrimos que vamos os dois fazer Ronda 101, ele de BTT eu a correr e a conversa (possivel) fluiu bem durante uns 70 k mais ou menos, altura em que eu fiquei numa paragem de autocarro a mudar de roupa e em qu ele seguiu caminho. Aqui fica o meu obrigado ao nuno pela companhia, pela sandes mista e pelo oleo na bina!
Vi muita gente a passar por mim com as binas no carro. Acho que estavam com medo de as estragar porque eram quase todas grandes máquinas, e a excepção, que tivesse visto, era eu, outro gajo do algarve que tambem ia a solo e mais dois gajos que iam um com o outro e tambem sem apoio, e ainda o heroi do dia, um zéca maciel que ia numa bicicleta desmontavel com uns pneus muito pequenos e que passou por mim antes do cruzamento para a carrapateira!
A meio do caminho pareceu-me ver o Pedro Alves, um gajo com um impermeavel branco numa bicicleta vermelha e a vir para cima...
Tive de optar por Lagos porque não tinha como ir de Sagres até Lagos para depois apanhar o comboio, e fiquei com uma sensação de não cumpriemento da coisa, mas tambem parece que a diferênça é de apenas mais 10 k... Enfim também não é importante. Importante é sim comprar uma bicicleta nova que a Deolinda diz que se quer reformar.

Notas soltas:
os gajos da bicicletas de estrada são uns snobs
a malta da bikezone só os vi no barco e depois nunca mais lhes pus a vista em cima
os gajos dos carros que apitam quando estão mesmo em cima de nós são uns filhos da puta, assim como os que fazem razias e nos dão com os máximos na cara apesar de eu estar aos berros a manda-los para muitos sitios diferentes.
O bilhete para uma pessoa mais a bicicleta é um roubo (4.5€ às 6.15 da manhã com o barco vazio!!)
Destesto todo e qualquer vento que não seja a favor
Os gajos das bicicletas de estrada param mil vezes
quem faz 200 k nestas condições faz 250 num dia bom, e esse será o meu próximo objectivo em relação à bicicleta.

3 comentários:

Filipe Domingos disse...

Caro Rui, os meus parabéns, como era previsível com o tempo que esteve era uma grande aventura. Eu nem quero pensar no Pedro Alves...
O tempo que gastou foram 9.30, o que dá uma média de 20.42/h. Não contando com paragens.

ligremo disse...

Tenho muita pena de nao estar ai pois malucos como tu... ha um por aqui que foi correr durante o evento de natal da empresa e se perdeu sozinho, de noite, no meio das montanhas... Mas estas sao as experiencias que valem a pena viver e depois contar (no quentinho).
Se for ai no natal levo-te um grande abraco e uma bisnaga de Halibute para deixares de te queixar... :)

Pedro Alves disse...

Olá,

Esteve um dia difícil mas "there`s a will there`s" a way.
Sábado era um dia para chegar a algum lado Sagres, Lagos, Tróia... algures.
Ainda bem que tudo correu pelo melhor...excepção feita à chuva, vento, pés molhados e frios....

Boas pedaladas